Opinião‎ > ‎Guerra de Ideias‎ > ‎

5967

Publicado a 17/04/2015, 03:58 por Carlos Ferreira   [ atualizado a 17/04/2015, 04:01 ]
5967?!?!? Porquê este título? A resposta vem mais à frente.

Sábado, é uma e pouco da tarde. O almoço já foi deglutido. É #TableTopDay. Não tenho planos para jogar e nem grande vontade, até porque o puto, que está na sesta, tinha acabado de fazer uma birra monumental. O facto de estar acordado desde as cinco e meia da manhã ajuda a explicar o facto. Não é que ele precise de desculpas.

Estou deitado no sofá a preparar-me para a minha própria sesta quando o telefone começa a vibrar incessantemente. “O que é que será agora?” penso eu. É o Tiago Duarte no Hangouts (former GTalk). E dali surge o convite. “Como é. É hoje que vens cá a casa jogar?”. O convite já tinha sido feito anteriormente várias vezes. Por este ou aquele motivo nunca tinha dado para aceitar. Quer dizer, ele também vive no deserto. É do outro lado. Na outra margem. Ou seja 25 minutos de carro. Sim eu sei que se isto fosse lido por um americano ou brasileiro serei motivo de chacota… mas cá… bem, cá é efetivamente longe.

Voltando ao convite. Na passada quarta-feira ficámos com um de 3 jogos pendurados por causa duma “revianga” do Duarte. Que ora vai ou não vai. Um desses jogos era o 1989, jogo onde o Tiago tem mais experiência que eu. Por outro lado eu da experiência que tenho acho o jogo um “quase lá”. Ou seja não é bom o suficiente, mas, sendo que é um card driven não me ficaria bem recusar.

Uma conversa com a Susana e lá vou pró outro lado. Sim, atravessei a ponte. GPS ativado que aquilo por aquelas bandas é tudo igual e lá estou eu. No 105.

Uma volta de reconhecimento pela casa como é da praxe e lá chegamos nós à sala de jogo onde o 1989 já está montado.

Um resumo da tarde.
O jogo um – 1989. É equilibrado. Eu jogo do lado comunista e vou perdendo país atrás de país para a democracia. Mas ao fazê-lo vou ganhando pontos. Sim pode parecer estranho, mas acontece. Lá por volta do final do 5º? 6º? turno estou com 18/19 Pontos de vitória. O Tiago joga uma carta que lhe permite ir buscar uma carta extra ao baralho na sua última ação. É uma carta de pontuação. Oooops. Uma derrota para o democrata.

“Então, o que jogamos agora?” Ouço eu do outro lado da mesa.

“Até gostei do jogo” penso eu, “mas agora pode ser ação a sério.”

“Tenho o Wir Sind das Volk ou o Tash-Kalar” digo eu inocentemente e com o coração carregado de esperança, sem saber que vinha bomba do outro lado da barricada.

“Olha jogava outro 1989”. Bummmm. Aquele ar de cachorrinho abandonado (ou do gato das botas se preferirem) que o Tiago tão bem sabe fazer desarma qualquer um.

Jogo dois  - 1989. Decidimos trocar de lado. Desta vez eu defendo as cores da democracia e o Tiago é o comuna de serviço. Não há muito a dizer sobre este jogo. A Hungria abraça a liberdade logo no primeiro turno. No segundo a Polónia com a Solidariedade e o Walesa dão um chuto no traseiro dos comunistas com um total de 15 pontos de vitória para o democrata, moi meme, e o jogo é arrumado.

Olho para o relógio. Ainda nem são 6 da tarde. “Se calhar vai dar para jogar qualquer coisa ainda”, penso.

Eis que mais uma vez do outro lado se houve.

“Este nem valeu”.

“Nunca tinha visto isto”.

“Vamos lá a outro”.

 

Jogo três - 1989. Mais uma vez um jogo equilibrado. Eu continuo como democrata, mas desta vez as coisas já não correm tão bem. Os pontos de vitória vão-se mantendo equilibrados, mas não há maneira de convencer os polacos a abandonar os comunistas. A cada pontuação a causa democrata vai-se deteriorando. A Hungria cai. A Checoslováquia cai. A Alemanha Oriental cai, mas os outros estão agarrados às presas de urso da velha URSS. Não há muito a fazer e lá pelo turno 8 os comunistas chegam aos 20 pontos de vitória.

Pelo meio um lanche muito bom, providenciado pelo meu companheiro de jogo e pela sua companheira.

 

Uma tarde bem passada sem dúvida.

E para quem se interrogou no início sobre este título (e aguentou até aqui). Cá está. 1989 X 3 = 5967.

Para quem não gostava assim tanto do jogo. 3 de seguida (com esta idade?) até que não é nada mau.

Acho que o jogo não me “satisfazia” pois apareceu numa altura em que eu jogava twilight struggle mais vezes do que trocava de roupa interior. E o jogo apesar de na minha opinião ser inferior, não é nada mau. Nada mesmo. A minha relutância em jogá-lo está totalmente afastada. Que boa malha. E sabe bem jogar um card driven com alguém que tem a mesma ou até mais experiência que eu nesse jogo. A tensão volta aos píncaros e o gosto pelo jogo adensa-se.

Como é? Para quando uma sessão 7956, ou até quem sabe 9945?


PS: No final ainda tive tempo para trazer um arroz doce para casa, que segundo dizem estava uma maravilha.

Carlos Ferreira



Comments