Críticas‎ > ‎Recentes‎ > ‎

RAGAMI - Review

Publicado a 05/07/2012, 15:53 por Nuno Bizarro Sentieiro


"- Konami ???, não, RÁ GA MI !"

Quando ouvi o nome do novo projecto da Mesa Boardgames estranhei, lá me explicaram o nome e mote por trás do jogo de tabuleiro. A primeira imagem que me veio à cabeça não foi o Nicolas Cage da Cidade dos Anjos, foi antes o incrível Michael Landon e as minhas idas tardes de televisão no clássico: Um Anjo na Terra. E assim captaram a minha atenção - esses sacanas !



Ragami é nome de figura mítica que protege e ajuda as pessoas a resolver os seus problemas, uma espécie de ANJO DA GUARDA (não confundir com um irmão Rosado do interior ostracizado do país). E é também título e ponto de partida para o novo jogo de Gil d'Orey (Vintage, Caravelas…).


Ragami

Os jogadores (2-4) tomam o papel de Ragami, e procuram ajudar à resolução de conflitos que ocorrem numa cidade-tabuleiro de jogo. Como antagonistas, os demónios - preparados para criar muitos problemas. Mas, não desesperes, existem ainda santos e outros Ragami prontos a auxiliar-te na tua demanda. Com a força necessária, combatendo múltiplos conflitos o vencedor será o Ragami que terminar o jogo com mais Pontos de Virtude.



O jogo desenrola-se numa cidade em fabulosa vista aérea (excelente arte de Pedro Soto) delimitada por quarteirões e edifícios babel. Conflitos irrompem por todo o lado e os jogadores-Ragami, do alto de catedral gótica, preparam-se para os combater.


Ragami tem muitos e variados dados, mas a sorte fica bem segura nas tuas acções. E por falara em acções, os jogadores podem executar dois tipos por turno: - acções de cartas (mais sobre estas já a seguir) - e Uma acção de Dados.

Acções da Dados

É aqui que reside o motor do jogo, as asas se preferirem. Rolam-se 3 dados (D6) de acção (1-1-2-3-4-5). Cada dado corresponde a uma caixa e um tipo de acção específico no tabuleiro. O valor lançado (2-5) representa o número de acções disponíveis para esse turno. O Lançamento de 1 implica a entrada de um demónio na cidade. Desta forma os turnos e o número e tipo de acções disponíveis por turno são muito variáveis e obrigam os jogadores a programar com cuidado as suas rondas de jogo e tentar prever as jogadas dos oponentes.

Os 3 tipos de acção disponíveis são: 

- Mover um santo, ou mover ou colocar um demónio na cidade 

- Biscar cartas

- Propor-se a resolver um conflito

(em alternativa mover um Ragami)

Acções de Carta

Os jogadores podem usar habilidades de cartas conseguidas em turnos anteriores e conseguir mais e melhores acções. 


a Minha Companhia

Sem estragar a surpresa, a chave do jogo está na resolução dos conflitos, e a melhor forma de o fazer está na companhia. Nos vários espaços da cidade, os conflitos de valores diferentes só podem ser resolvidos, com Ragami experimentados, por vezes com o auxílio de Santos ou até de outros anjos, algo de realmente positivo acabará por acontecer, nem que seja com um danoninho de sorte (Dado de Força). Em Ragami, fazer o bem compensa e é na Virtude que está o ganho…

De Noite e de Dia

Ragami é um jogo simples, que pode ser jogado por famílias, de uma forma bem cooperativa (ainda que sempre com vencedor), mas também pode apelar à natureza competitiva do jogador mais experimentado. Turnos rápidos, dinâmico e interactivo, o jogo parece contar uma história de final feliz numa qualquer matiné de um Domingo da nossa infância.

"Às vezes não é preciso mais, são as coisas simples que nos fazem felizes - The Boss"


#nbs#

[ Comentário(s) )



Comments