Top 5‎ > ‎2009‎ > ‎

Os meus jogos políticos preferidos



Com a semana a terminar é hora de apresentar mais um TOP5. Para comemorar, ou não, o dia 25 Abril que marca o início da vida democrática em Portugal, resolvi fazer um top sobre jogos políticos. Esta é uma categoria difícil de julgar, porque nem sempre os jogos que caem nesta categoria serão verdadeiros jogos políticos. Mas dentro de um espírito de coerência possível, lanço aqui o meu top dos jogos que no meu entender melhor encaixam nesta categoria.

1) 1960: The Making of the President - Este jogo é um verdadeiro jogo político assente numa mecãnica cada vez mais amada aqui no burgo, CDG (Card Driven Games). Simulando as eleições que colocaram frente a frente Kennedy e Nixon, este 1960 transpira tensão por todo o lado. É uma corrida às urnas fenomenal fazendo uso da influência dos Media, dos debates, dos Endorsements e de toda uma máquina política que o jogo simula muitíssimo bem.

2) Tribune: Primus Inter Pares - Outro grande jogo, onde os intervenientes vão jogando cartas na procura de controlar as muitas famílias que podem ou não, controlar o Senado Romano. Menos temático, mas igualmete elegante, Tribune é um Worker Placement Game" inventivo e viciante.

3) Die Macher - Este mítico desenho de Schmiel, o mesmo autor de Tribune, é um absoluto clássico. Um verdadeiro simulador político, cheio de tema. Infelizmente, a sua longa duração, de cerca de 5 horas, afasta-o das mesas mais meses do que devia. Também muitos desconfiam de alguma aleatoriedade incontrolável que pode afligir o jogo. Mas verdade seja dita, poucos têm o encanto e um carácter verdadeiramente político como Die Macher.

4) Kremlin - Este é mais um clássico no universo dos boardgames. Datando do mesmo ano que Die Macher, 1986, Kremlin é um jogo quase diametralmente oposto a este. Simulando a Alta política soviética nos corredores do Politeburo, Kremlin é um exercício de sobrevivência política à custa de traições, manipulações e influências. Um divertimento absoluto.

5) In the Shadow of the Emperor - Menos temático e bastante mais seco, ItSotE continua a ser para mim um dos jogos mais originais e criativos de sempre. Não sendo perfeito, é ainda assim uma experiência de jogo exigente e estimulante. Um Area Control imaginativo e difícil de dominar.


Comments