Top 5‎ > ‎2009‎ > ‎

UNICEF e Tratado de Quioto



Desculpem-me se parecer demasiado ‘activista’. Não o sou, nunca o fui e nunca o serei. São apenas pensamentos meus. A 11 de Dezembro de 1946 foi criada a UNICEF e a 11 de Dezembro de 1997 foi assinado o tratado de Kyoto por 150 nações. Este não será, propriamente, um Top 5 sobre jogos. Será antes sobre estas duas ‘coisas’ e ‘outras’. Da 1ª quase ninguém se recorda mas a 2ª anda agora nas notícias devido à tal Cimeira de Copenhaga. Serão as duas importantes? Para mim, sim e não. Aqui vai sem qualquer ordem:

Agricola – Belíssimo jogo, vencedor do prémio de Melhor Jogo do Ano do SpielPortugal em 2008. Seria bom que todos as famílias que não podem fazer da sua vida outra coisa pudessem ter uma bela quinta com tudo para criarem sem problemas os seus filhos. Eu gostaria de viver assim. É incrível que neste mundo, em pleno século XXI, morram diariamente tantas crianças por não terem aquilo que deveriam ter: comida e outras coisas

Vertigo – Um velhote e simpático jogo sobre poluição. Neste jogo se poluírmos o mundo de forma irreversível todos perdemos. É, o jogo reflecte bem a realidade. Mas eu não sou um activista do ambiente – mas faço separação de lixos -, nem sequer acredito no efeito de estufa devido às emissões de CO2 ... são antes os ciclos solares. E agora discutem-se quotas de emissões desse gás. Pois, tu estás a começar, mas já não podes emitir mais ... lixa-te, eu desenvolvi-me antes de ti, por isso agora respira o meu CO2. E além disso: ouve, eu já enchi a minha fossa de CO2, alugas-me a tua sanita?

Brinquedos/jogos para crianças – O BGG está cheio disto. Eu, enquanto criança, e agora adulto, nunca me pude queixar da falta de brinquedos e de jogos. Os meus pais, felizmente, sempre me deram aquilo que puderam. É por isso que por aqui ando a escrever disto. Agora, quantos pais gostariam de fazer o mesmo e não podem? Chega o Natal e o que é que se vê por aí? Que merda de mundo é este? Graças a Deus que as crianças, as que o podem ser, sempre serão crianças e, de um ou de outro modo, sempre serão capazes de criar as suas brincadeiras/jogos.

FC Barcelona – Não gosto deste clube. Mas há que reconhecer que é uma grande instituição. Teve o mérito de nunca recorrer à publicidade no seu equipamento até que teve o mérito de fazer publicidade gratuita no seu equipamento à UNICEF. Mais uma vez, não sou activista nem quero ser hipócrita: nunca contribuí nem contribuirei para a UNICEF. Já pago, e bem, os meus impostos. Isso cabe aos governos de todo o mundo. Por isso o jogo seguinte é:

Ideology – Já tenho este jogo, ainda não o vi e se calhar não presta para nada. Mas é sobre ideologias que andam por aí neste mundo. E é precisamente esta abundância de ideologias que leva a muitas destas misérias. Temos telemóveis, temos internet, somos hi-tech, viva o avanço tecnológico, viva a maçaroca, temos tudo ... alguns, outros alguma coisa e muitos nada. E o que somos? Um nada em constante guerra ... de ideologias. Desde a ‘revolução’ da Renascença que a Humanidade não olha para si mesma e avança para outro estágio de desenvolvimento ... humanista!

P.S. Neste tema caberia aqui um outro jogo, ainda protótipo, mas o Vital Lacerda que fale disso, se quiser.
P.S.S. Desculpem os devaneios, ou efabulações, como diria o Vital :P

Comments