Top 5‎ > ‎2011‎ > ‎

O meu é mais bonito do que o teu


Aqui está o segundo top5 sobre jogos com tabuleiros individuais.

E desta vez escolho jogos em que esse tabuleiro individual assume outro protagonismo. Não temos agora apenas tábuas de marcação de progresso, mas antes espaços onde cada jogador cria a sua fábrica, a sua quinta ou até a sua ilha!
Como diria o amigo Soledade, nestes pequenos tabuleiros cada jogador faz as suas coisinhas. E é por isso que é sempre possível ouvir alguém dizer a determinada altura, já com um “banho de bola” em cima, “ah, mas o meu é muito mais bonito do que o teu” e rematar: “pumba”!

Power Grid: Factory Manager – O nome sugere uma sequela do jogo mãe, mas nem tematicamente me parece que o seja. O tabuleiro que colocamos à nossa frente é a nossa fábrica. Ali metemos as máquinas e robots que adquirimos, simulamos a capacidade de armazenamento e anotamos gastos de energia. Há uma sala de convívio para os nossos trabalhadores e duas barras de marcação de progresso que tocam as opções do primeiro top5 sobre esta especificidade dos jogos de tabuleiro.
Eu gosto desta criação do sr. Maria José Valério alemão!

The Princes of Florence – Um clássico extraordinário. O mini tabuleiro é um jogo dentro do jogo. Em jeito de puzzle procuramos optimizar um espaço de Florença implantando edifícios, lagos ou jardins. Partimos a cabeça a fazer contas, nossas e dos outros, mas vale bem a pena.

Agricola – No caso deste apreciadíssimo jogo o mini tabuleiro é literalmente a nossa quinta. Até me podem dizer que dava para jogar sem o tabuleiro, imaginando os 15 espaços de terreno a edificar e cultivar, mas, é como diz a publicidade, não era seguramente a mesma coisa. Só de pensar apetece jogar.

Puerto Rico – Vendo bem, a proposta não difere muito da atrás referida. Agora o tabuleiro individual é a nossa ilha e para além de terrenos para cultivar temos espaços para fábricas. Como ajuda ao jogador traz inscrito um resumo das acções possíveis, mas quando se compra a versão alemã (tontice de novato), pelo menos no primeiro jogo, acreditem, não ajuda muito!

Vinhos – O mais novo dos cinco escolhidos. Dedicamo-nos a plantar vinhas, levantar adegas e expandir as caves, podendo criar um império vinícola com várias propriedades. Apesar do pequeno tabuleiro até não puxar o tema, digamos que o jogo puxa para um bom copo do precioso líquido. E aí vem-me à lembrança aquele pequeno individual que às vezes levo à mesa num fim de tarde, com o queijinho, o chouriço, o pão caseiro e o tal copo. Ui, ui!


[ Comentário(s) ]


José Carlos Rôla

rola@spielportugal.org

Comments